Agende sua sessão inicial hoje mesmo: (11) 98706-5121

preencha o formulário para marcar sua primeira sessão

O que é comunicação não violenta?

A Comunicação Não Violenta (CNV) é uma abordagem de comunicação que usa de habilidades de falar e ouvir para afastar do coração qualquer tipo de violência facilitando, desse modo, a conexão com outras pessoas.

Nas sessões de CNV o paciente aprenderá a reformular a forma como se expressa e ouve os demais. Aprenderá a “desligar” o modo de ataque ou de defesa para que possa compreender melhor o outro. O mesmo quanto a conseguir se fazer compreender ao falar.

Como a comunicação não violenta pode te ajudar?

Sem dúvida a comunicação não violenta ajuda a melhorar a comunicação e a relação com os indivíduos do entorno. Principalmente familiares e colegas de trabalho. Seja em conversas, reuniões e até mesmo em discussões.

A CNV ajuda o indivíduo a ter como foco as suas necessidades e o entendimento das necessidades do outro, tornando a conversa mais produtiva e lhe dando mais sentido. O grande problema das discussões, do modo de ataque e defesa, é que o diálogo é desviado daquilo que é comum a todos, necessidades, para discutir comportamentos.

Isso é uma grande perda de tempo, pois o que conecta a todos são as necessidades. Elas são fundamentais para identificar o que de fato está gerando o conflito e para o caminhar a uma conversa mais agradável.

A CNV serve para:

  • Resolução pacifica de conflitos;
  • Promoção da empatia;
  • Mediação de conflitos;
  • Redução de agressões verbais e físicas;
  • Construção de ambientes mais acolhedores;
  • Fortalecimento de trabalho em equipe;
  • Manutenção de relacionamentos saudáveis.

Algumas práticas de comunicação não violenta

Nas sessões de CNV terá acesso a determinados exercícios para poder reeducar a sua comunicação com terceiros:

  • Observação: a pessoa é estimulada a fazer observações sobre ações ou falas de terceiros que incomodam pelo jeito de se expressarem em discussões;
  • Sentimentos: após identificar os incômodos o paciente é incentivado a descrever os sentimentos que foram despertados diante do incômodo;
  • Necessidades: depois da fase de sentimentos, temos as necessidades. O paciente é orientado a identificar as necessidades geradas pelos sentimentos. Caso se sinta frustrado, é instado a se perguntar qual necessidade não foi atendida para se sentir desse jeito.
  • Pedido: Por fim, temos o pedido. Após chegar ao entendimento do que precisa, o paciente pode fazer um pedido ao outro para que suas necessidades sejam atendidas.

Como aprender a comunicação não violenta? O mais indicado sem dúvida é ser orientado por um profissional qualificado em psicologia e suas diversas áreas. Qualificado e experiente em aplicar metodologias terapêuticas no campo da saúde mental. Quem se encaixa perfeitamente neste perfil é o hipnoterapeuta e coaching Moshé Bergel. Especializado também em constelação familiar, terapia da Linha do Tempo (TLT) e Programação Neurolinguística (PNL). Uma verdadeira referência na área que domina todas as técnicas necessárias para ensinar CNV para qualquer pessoa.

Receba as últimas notícias publicadas

×